Sobre

Esta é a página do laboratório do Dr. Carlos Hotta, do Departamento de Bioquímica, Instituto de Química, Universidade de São Paulo.

Search
Powered by Squarespace
Sobre o blog

Quando criança, eu sonhava estudar dinossauros. Hoje em dia tenho outros sonhos mas ainda tenho brontossauros no meu jardim. Por Carlos Hotta.

Feed me!
Main | Brontossauros renascem »
Sexta-feira
Dez012017

A graduação acontece entre as aulas

Há um texto circulando por aí sobre não entrar na universidade no ano que vem. Eu até concordo que se entra muito cedo na universidade, mas a raiz do problema que o autor teve não está em sua entrada na universidade, mas sim de como ele entende a graduação e até como seus professores entendem a graduação.

Esta não será uma opinião popular, mas a sua graduação acontece no espaço de tempo entre suas aulas. Claro, aulas são importantes, elas vão te ensinar o básico sobre a sua área, mas não são tão importantes quanto o que você faz no resto do seu dia. É no espaço entre as aulas que você vai fazer os seus contatos profissionais mais importantes, que você vai aprender a aprender e se manter atualizado, que você vai se tornar um empreendedor, que você vai expandir sua mente para além da sua graduação, e que você irá aprender sobre sua profissão, fazendo estágios e outros trabalhos. Por incrível que pareça, formar-se um profissional é muito mais do que tirar notas altas. Não é à toa o número de pessoas famosas que nunca terminaram Harvard: entrar em Harvard e viver Harvard (ou qualquer grande universidade) muitas vezes é o suficiente.

Voltando ao autor do texto, ele disse que só se sentiu realizado após entrar em uma empresa júnior, ao voluntariar na organização de um TEDx e ao trabalhar em um laboratório. Tudo isso que ele fez é o que realmente está preparando-o profissionalmente. Mas não se engane, estas oportunidade só aconteceram porque ele ENTROU na universidade primeiro. Porque a universidade serve para isso e não só para te dar créditos.

Dito isto, confesso que vejo muitos cursos de graduação aumentando a sua carga horária - muitas vezes reduzindo as disciplinas básicas para ampliar disciplinas especializadas. Não serei popular, mas creio que estes cursos estão completamente enganados. Eles tomam estas atitudes para melhorar a formação do profissional mas eles acabam gerando hordas de alunos esgotados mentalmente e profissionais sem experiência nenhuma. Caro leitor que se sente esgotado pelas pressões de seu curso: a culpa não é sua. A culpa não é sua.

Qual é a minha sugestão? Se sua situação financeira o permitir, reorganize sua grade horária e faça menos créditos no ano que vem. Procure um estágio, um trabalho voluntário, integre o movimento estudantil. Reserve um tempo para estudar coisas que não irão cair na prova mas te interessem. Vá a palestras, faça mini-cursos, leia coisas diferentes, agarre oportunidades diferentes. Crie seu movimento estudantil, organize seus eventos, crie. Não espera uma disciplina de graduação sobre empreendedorismo, empreenda. Não se esqueça de lutar por cargas horárias menores, por auxílios financeiros aos estudantes, bolsas e outras políticas que poderiam ajudar os que precisam trabalhar entre as salas de aulas. Viva a universidade e você sairá dela mais graduado que seus colegas.  Viva a universidade.

PrintView Printer Friendly Version

EmailEmail Article to Friend

Reader Comments

There are no comments for this journal entry. To create a new comment, use the form below.

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.

My response is on my own website »
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
Some HTML allowed: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <code> <em> <i> <strike> <strong>